Centro FABEL - Faculdade de Belford Roxo - Belford Roxo

Cursos e Mestrados
Brasil Brasil
1 Mestrados e cursos Belford Roxo
Procurar
FABEL - Faculdade de Belford Roxo
Belford Roxo (Rio de Janeiro)
Nossa História  

Em 1891, Giuseppe Bicchieri chegou ao Brasil, vindo da Itália - região de Verona -, com sua esposa Violetta. Aportou em São Paulo e de lá veio para o Rio de Janeiro. Iniciou sua trajetória de vida no Brasil no então lugarejo do Brejo – hoje Belford Roxo. Em 1928, seu filho Carlos ...
Ver maisVer mais
Links
patrocinados
Histórico de cursos de FABEL - Faculdade de Belford Roxo
Base de Dados - Database
Links
patrocinados
Nossa História  

Em 1891, Giuseppe Bicchieri chegou ao Brasil, vindo da Itália - região de Verona -, com sua esposa Violetta. Aportou em São Paulo e de lá veio para o Rio de Janeiro. Iniciou sua trajetória de vida no Brasil no então lugarejo do Brejo – hoje Belford Roxo. Em 1928, seu filho Carlos Bicchieri construiu e inaugurou a igreja do Sagrado Coração de Jesus, a primeira igreja de alvenaria de Belford Roxo, doada à mitra diocesana local. Nas terras da Solidão, na rua que recebera mais tarde o nome de sua esposa Virgilina Bicchieri, também possuía e administrava uma fábrica de botões, que produzia para o exército brasileiro no Estado Novo. (...)

Aos 28 dias do mês de fevereiro de 1976, a Profª. Fernanda Bicchieri Soares, iniciou as atividades do Jardim de Infância na casa, então alugada, na Av. José Mariano dos Passos, 1734 - Centro de Belford Roxo. O casarão antigo possuía alguma semelhança com um Castelinho, e assim foi batizada a escola. Por ser uma professora bastante conhecida na cidade e pela escola vir ao encontro com as necessidades de Belford Roxo naquele momento, a primeira Pré-Escola do Distrito e a primeira Reconhecida pela Secretaria de Educação, obteve logo muito sucesso, operando com sua capacidade máxima e alta lucratividade, pois contava com vários voluntários da família para colaborar (foi somente em 1994 que seu prédio foi comprado e passou a pertencer a Instituição). Até hoje o Castelinho é referência de Educação Infantil em toda região do Grande Rio.

Neste mesmo ano, as terras outrora pertencentes à família Bicchieri foram loteadas e foi possível recomprá-las do então proprietário. E, em 28 de outubro de 1976 foi lançada neste terreno a pedra fundamental do Centro de Educação Moderna - CEM; que iniciou suas atividades com apenas duas salas de aula destinadas à classe de alfabetização e à 1ª série, em 1977, numa rua sem calçamento e sem saneamento básico. A escola de 1º Grau crescia, a cada ano, mais uma série. Em 1980 iniciou o ensino de 2º Grau Técnico à noite e em 1983, pela manhã.

Em 1986 a Profa. Kátia Maria Soares assumiu os caminhos pedagógicos do colégio, que já nasceu com a proposta de estar à frente das ideias da Educação, aliando atualização e adequação à realidade local. A marca do Colégio CEM e da Escola Castelinho tornou-se, então, a marca de uma Educação nova, onde as relações entre professores e seus pares e a sua administração, servem de referência nas relações com os alunos. O Colégio é por excelência democrático, e por isso palco de reflexão e diálogo entre os aprendizes e, também, entre os aprendizes e seus educadores. O conhecimento é a base para que aprendizagens mais profundas aconteçam, entre elas, cidadania, ética, empreendedorismo e pró-atividade.

Em 1988, a visita do amigo Henrique Luiz Varésio estimulou a Direção do colégio a iniciar o processo de autorização de dois cursos de Ensino Superior no Ministério da Educação: Ciências Contábeis e Tecnologia em Processamento de Dados. Para tal, a Direção constituiu a Sociedade de Ensino para que estivesse de acordo com a legislação da época que limitava a concessão de oferta do Ensino Superior a sociedades sem fins lucrativos. Neste ano a escola serrava fileiras com a "Comissão Pró-Emancipação de Belford Roxo - CEBER", para conseguir a separação do 4º. Distrito do município sede de Nova Iguaçu.

Em 1990, o município de Belford Roxo conseguiu sua emancipação; em 1992 aconteceu a 1ª eleição municipal e, no dia 1º de janeiro de 1993, foi implantado o primeiro governo municipal. Ano, também, em que o então Conselho Federal de Educação, após longo período sem permitir a abertura de novos cursos em novas Instituições, abriu-se a essa possibilidade. Os dois processos de nossos cursos superiores passaram a tramitar, com isso, no Ministério da Educação.

Com o Conselho Federal fechado em 1994, foi somente no decorrer de 1995 que o primeiro curso foi autorizado, o curso de Tecnologia em Processamento de Dados, que iniciou as suas atividades no dia 07 de agosto, com a palestra do presidente da ABMES - Associação Brasileira de Mantenedoras do Ensino Superior - e reitor da UNAMA – Universidade da Amazônia - Prof. Edson Franco. A nova faculdade foi batizada pelo diretor financeiro Dr. Fernando Carlos Soares com o nome da cidade que a tudo possibilitou.
O slogan da cidade: "A Cidade do Amor" foi assimilado pela FABEL e ressignificado. O coração do brasão de Belford foi transportado para a logomarca da FABEL, numa interpretação que significa que aqui é o lugar da reflexão e do estudo do que esta palavra do senso comum quer dizer. FABEL em alemão significa fábula, argumento. Este é o nosso espaço, onde somos os atores e vivenciamos experiências capazes de nos reinventar.

No final de 1995 o curso de Contábeis foi aprovado, e iniciou suas atividades em 1996. Em 1997, a Faculdade de Belford Roxo deu entrada em dois novos cursos: Ciências Jurídicas e Administração. O curso de Ciências Jurídicas não conseguiu passar pela burocracia da OAB, mas o de Administração tramitou rapidamente, começando suas atividades no 2º semestre de 1998. Foi nesse ano que a FABEL inaugurou o Espaço Cultural FABEL, localizado na esquina da rua Virgilina Bicchieri com uma rodovia estadual movimentada, portanto de muito fácil acesso do público. Tornou-se o auditório uma referência às lideranças comunitárias e à Prefeitura local. É hoje considerado "a sala de visitas do Município". O Espaço Cultural FABEL, ao longo dos seus anos de funcionamento, conta a verdadeira história do desenvolvimento econômico e social de Belford Roxo

A FABEL sempre teve uma vida comunitária rica e ativa, destacando-se entre outras iniciativas:

- No dia 10 de dezembro de 1985 a Profa. Fernanda fundou o CENPRE - Belford Roxo, o Centro de Preservação do Patrimônio Histórico e Cultural de Belford Roxo, entidade sem fins lucrativos "com a finalidade de reunir dados, catalogar, restaurar e preservar a história e a cultura de todos os bairros do nosso Distrito". Até hoje a FABEL abriga todo esse acervo que está a serviço da comunidade. A maior realização deste Centro foi trazer de volta para a cidade seu maior patrimônio Cultural: a escultura, de ferro fundido, "Bica da Mulata" – nome popular – na verdade uma das 182 esculturas trazidas por Dom Pedro II da França. A pesquisa cultural que resultou no Hino da Cidade foi também realizada pelo CENPRE.
Hoje a FABEL tem acento em vários conselhos comunitários e municipais e participa de todos os momentos decisivos e importantes para a vida da comunidade de Belford Roxo e de toda região da Baixada Fluminense. Além de ser fundadora e incentivadora da Academia de Letras e Artes de Belford Roxo – ABLA. Apóia todas as iniciativas culturais de Belford Roxo.

Em 24 de dezembro de 2008 foi publicada no D.O.U a Portaria do curso de Licenciatura em Pedagogia. O curso iniciou suas atividades no 1º semestre de 2009. No dia 09 de março, teve sua aula inaugural proferida pela Prof. Dra. Vera Werneck, professora do Mestrado em Educação da Universidade Católica de Petrópolis - UCP.

Comemorando os 15 anos da instituição FABEL, no dia 07 de agosto de 2010, aconteceu a Aula Inaugural dos primeiros cursos de Pós-graduação em Educação - Gestão e Coordenação, Orientação e Supervisão e Inspeção Escolar. O trabalho foi iniciado pelos professores Ednardo Monti e Kátia Soares.
Nova Busca
Procurar