Curso de Desafios da Economia Brasileira

Solicite informação sem compromisso Consultoria em Treinamentos

Para enviar a solicitaçao você deve aceitar a Política de Privacidade

Análise do Educedu

Luanda Fernandes

Luanda Fernandes

Curso de Desafios da Economia Brasileira

  • Modalidade
    O Curso de Desafios da Economia Brasileira é realizado presencialmente na sede da Consultoria em Treinamentos.
  • Duração
    Consulte com a instituição.
  • Certificado Oficial
    A Consultoria em Treinamentos concede certificado de participação.
  • Considerações
    O Curso de Desafios da Economia Brasileira reúne economistas renomados, como o ex-ministro Delfim Netto, para debater temas como a ação do governo para conter da valorização do real, a redução das taxas de juros pelos bancos públicos, as medidas setoriais do governo para o estímulo de novos investimentos no setor industrial, além dos riscos que envolvem as crises na Europa e Estados Unidos.
  • Dirigido a
    Curso recomendado aos Economistas e demais profissionais que atuam em cargos direção em empresas ou no setor industrial.
  • Área de atuação
    Este curso permite uma avaliação sobre as perspectivas da economia nacional que contribui para tomada de decisões em empresas dedicadas a distintos segmentos econômicos.
Quer saber mais sobre este curso?
Solicitar informações

Comentários sobre Curso de Desafios da Economia Brasileira - Presencial - São Paulo Capital - São Paulo

  • Conteúdo
    Curso de Desafios da Economia Brasileira Hotel Intercontinental
    O governo prevê um crescimento econômico mais acelerado no segundo semestre e que o PIB crescerá 4% em 2012. Várias medidas têm sido anunciadas para que se confirme esta previsão.
    Para acelerar o crescimento, os bancos públicos reduziram suas taxas de juros; alguns setores industriais foram beneficiados com desoneração tributária ou com aumento de índices de nacionalização e intervenções tem evitado maior valorização do real.
    Resta saber se o país tem condições de crescer à taxa de 4% este ano, no médio e longo prazo e também se o processo de desindustrialização será contido. A economia dos países desenvolvidos continua anêmica e dependente de novos estímulos monetários.
    Se a lenta recuperação dos EUA for mantida, a crise europeia não piorar e não houver uma aguda desaceleração da economia chinesa, o Brasil deverá manter um horizonte favorável ao crescimento sustentável. No entanto, um cenário externo mais adverso poderá agravar as vulnerabilidades brasileiras, evidenciadas pelo crescente déficit em conta corrente.
    Participe deste Seminário InterNews que reúne o ex-ministro Delfim Netto e outros renomados economistas para melhor avaliar as perspectivas da economia brasileira.

    O governo terá sucesso em evitar uma maior valorização do real?
    A redução das taxas de juros pelos bancos públicos será eficaz para estimular o consumo?
    As recentes medidas setoriais do governo conseguirão estimular novos investimentos na indústria?
    Qual o risco de agravamento das condições econômicas nos EUA, na Europa ou na China?

    Participe deste Seminário InterNews para planejar as suas decisões empresariais. Conferencistas Delfim Netto
    Ex-deputado federal, foi ministro da Fazenda, da Agricultura e do Planejamento
    Octavio de Barros
    Diretor de Pesquisas Macroeconômicas e Economista-chefe do Bradesco. Membro do Conselho Superior de Economia da Fiesp e presidente do Comitê de Economia da AMCHAM. Foi diretor de Economia da Febraban, pesquisador da OCDE e assessor do Ministério da Fazenda. Doutorado em Economia pela Universidade Paris X – Nanterre.
    Michal Gartenkraut
    Sócio da Rosenberg & Associados, PhD em Sistemas Econômicos pela Universidade de Stanford. Foi reitor do ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica, secretário geral do Ministério do Planejamento e presidente do IPEA
    Carlos Kawall
    Economista-chefe do Banco J. Safra. Foi secretário do Tesouro Nacional. Doutor em Economia pela Unicamp.

Outro curso relacionado com Economia

Utilizamos cookies para melhorar nossos serviços.
Se continuar navegando, aceita o seu uso.
Ver mais  |