Home > Cursos > Terapias Alternativas > A Distância > Curso de Formação do TEPIC - A Distância

Curso de Formação do TEPIC - A Distância

Solicite informação sem compromisso Escola Ana Neri de Acupuntura e Massoterapia

Para enviar a solicitaçao você deve aceitar a Política de Privacidade

Comentários sobre Curso de Formação do TEPIC - Online

  • Conteúdo
    Formação do TEPIC.

    Duração: 36 meses
    Carga horária: 2.280 Horas

    EAD
    Na Formação do TEPIC Terapeuta em Práticas Integrativas e Complementares haverá encontros a cada 6 meses

    FORMAÇÃO DO TERAPEUTA EM PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES

    Em virtude da crescente demanda da população brasileira, por meio das Conferências Nacionais de Saúde e das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) aos Estados membros para formulação de políticas visando a integração de sistemas médicos complexos e recursos terapêuticos (também chamados de Medicina Tradicional e Complementar/Alternativa MT/MCA ou Práticas Integrativas e Complementares) aos Sistemas Oficiais de Saúde, além da necessidade de normatização das experiências existentes no SUS, o Ministério da Saúde aprovou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS, contemplando as áreas de homeopatia, plantas medicinais e fitoterapia, medicina tradicional chinesa/acupuntura, medicina antroposófica e termalismo social – crenoterapia, promovendo a institucionalização destas práticas no Sistema Único de Saúde (SUS).

    O curso:

    FORMAÇÃO DO TERAPEUTA EM PRÁTICAS INTEGRATIVAS E COMPLEMENTARES

    Em virtude da crescente demanda da população brasileira, por meio das Conferências Nacionais de Saúde e das recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) aos Estados membros para formulação de políticas visando a integração de sistemas médicos complexos e recursos terapêuticos (também chamados de Medicina Tradicional e Complementar/Alternativa MT/MCA ou Práticas Integrativas e Complementares) aos Sistemas Oficiais de Saúde, além da necessidade de normatização das experiências existentes no SUS, o Ministério da Saúde aprovou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS, contemplando as áreas de homeopatia, plantas medicinais e fitoterapia, medicina tradicional chinesa/acupuntura, medicina antroposófica e termalismo social – crenoterapia, promovendo a institucionalização destas práticas no Sistema Único de Saúde (SUS).

    A Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares tem como objetivos:

    1. Incorporar e implementar as Práticas Integrativas e Complementares no SUS, na perspectiva da prevenção de agravos e da promoção e recuperação da saúde, com ênfase na atenção básica, voltada ao cuidado continuado, humanizado e integral em saúde;
    2. Contribuir ao aumento da resolubilidade do Sistema e ampliação do acesso à PNPIC, garantindo qualidade, eficácia, eficiência e segurança no uso;
    3. Promover a racionalização das ações de saúde, estimulando alternativas inovadoras e socialmente contributivas ao desenvolvimento sustentável de comunidades e;
    4. Estimular as ações referentes ao controle/participação social, promovendo o envolvimento responsável e continuado dos usuários, gestores e trabalhadores nas diferentes instâncias de efetivação das políticas de saúde.

    Entre suas diretrizes, destacam-se:

    1. Estruturação e fortalecimento da atenção em PIC no SUS;
    2. Desenvolvimento de estratégias de qualificação em PIC para profissionais o SUS, em conformidade com os princípios e diretrizes estabelecidos para educação permanente;
    3. Divulgação e informação dos conhecimentos básicos da PIC para profissionais de saúde, gestores e usuários do SUS, considerando as metodologias participativas e o saber popular e tradicional;
    4. Estímulo às ações intersetoriais, buscando parcerias que propiciem o desenvolvimento integral das ações;
    5. Fortalecimento da participação social;
    6. Provimento do acesso a medicamentos homeopáticos e fitoterápicos na perspectiva da ampliação da produção pública, assegurando as especificidades da assistência farmacêutica nestes âmbitos na regulamentação sanitária;
    7. Garantia do acesso aos demais insumos estratégicos da PNPIC, com qualidade e segurança das ações;
    8. Incentivo à pesquisa em PIC com vistas ao aprimoramento da atenção à saúde, avaliando eficiência, eficácia, efetividade e segurança dos cuidados prestados;
    9. Desenvolvimento de ações de acompanhamento e avaliação da PIC, para instrumentalização de processos de gestão;
    10. Promoção de cooperação nacional e internacional das experiências da PIC nos campos da atenção, da educação permanente e da pesquisa em saúde;
    11. Garantia do monitoramento da qualidade dos fitoterápicos pelo Sistema Nacional de Vigilância Sanitária.

    Dentro de todo esse contexto, a formação do TEPIC surge para dar um pouco mais de esperança ao mundo moderno.

    Será, com certeza, a medicina do futuro, resgatando a verdadeira essência da vida, eliminando as impurezas da mente humana e possibilitando melhor qualidade de vida, servindo ainda como coadjuvante aos tratamentos convencionais da medicina, da odontologia, da fisioterapia, da terapia ocupacional, da fonoaudiologia, da farmácia, da educação física, da psicanálise, das psicoterapias, da biomedicina, da psicologia e demais áreas da saúde, ao terapeuta corporal, holístico, massoterapeuta, acupunturista, quiropraxista, etc…

    Nesse Curso o aluno aprenderá todas as técnicas de práticas integrativas e complementares que pode ser utilizada com eficácia em doenças consideradas funcionais, ou seja, que não implicam em lesões ou comprometimentos estruturais dos órgãos humanos, tais como enxaquecas e outras cefaleias crônicas, algumas tonturas e vertigens; gastrites, dispepsias, certas diarreias crônicas; asmas brônquicas, rinites alérgicas, roncos, apneia do sono; incontinência urinária, dismenorreia, tensão pré-menstrual; impotência psicológica; frigidez, ejaculação precoce, diminuição da libido; urticária e outras alergias, doenças da pele de fundo emocional; hipertensão e certas arritmias cardíacas. Muitas doenças do sistema imunológico, de fundo emocional, também podem alcançar a cura com o auxílio da hipnose clínica, as doenças psicológicas, como ansiedade, pânico, fobias, depressão e outras, podem ser tratadas também com esta técnica .

    A prática integrativa e complementar nas suas diversas modalidades pode atenuar o sofrimento do paciente, ajudando-o a resgatar a serenidade e o equilíbrio. As Pics são utilizadas na cura de hábitos e vícios, no tratamento de distúrbios alimentares, como analgésico em dores agudas ou crônicas, para anestesiar o paciente em intervenções cirúrgicas e até mesmo no auxílio aos atletas que se preparam para competições ou treinos desgastantes. Tem-se relatos do uso das Pics, no relaxamento em casos de stress, no auxílio ao aprendizado, nos episódios de insônia e nas mais variadas esferas da vida humana.


    Objetivos:

    O Curso prepara profissionais da saúde e egressos do ensino médio para o exercício das Pics Práticas Integrativas e Complementares proporcionando ao aluno uma visão bem clara de como é a estrutura da Escola Médica Ocidental e Oriental.

    CURSO OFERECIDO EM PARCERIA COM A FACULDADE EINSTEIN FACEI, Credenciada no Ministério da Educação do Brasil através da Portaria Nº 6 de sete de janeiro de 2008, publicada no Diário Oficial da União em 08/01/2008.


    Características do curso:

    O Curso de Formação Livre do Terapeuta em Praticas Integrativas e Complementares, foi criado com o objetivo de melhorar o aprendizado aluno escola, para que essa ideia se tornasse realidade a EANAM buscou uma metodologia diferencia já aceita no Brasil pelo Ministério da Educação. O PBL (Problem Based Learning) que representa a Aprendizagem Baseada em Problemas, um novo método de ensino que vem ganhando muito espaço entre os educadores – principalmente em faculdades de medicina.

    A Aprendizagem Baseada em problemas PBL é um recurso didático, uma estratégia pedagógica inovadora, que vem conquistando muitos aliados. A Universidade McMaster, no Canadá, e a de Mastricht, na Holanda, foram as primeiras a adotá-lo, lá em 1969. Desde então, ele vem sendo implantado em importantes escolas de diversas áreas mundo afora. No Brasil, a Aprendizagem Baseada em problemas PBL chegou através da Faculdade de Medicina de Marília (SP) e da UEL (Universidade Estadual de Londrina), no Paraná, e já está presente em várias outras.

    Essa metodologia quebrou o paradigma de aula tradicional, com disciplinas curriculares distanciadas umas das outras e o controle de presença e provas: nela, o aluno estuda individualmente sobre determinado assunto antes da aula, e anota todas as suas dúvidas ou dificuldades. Na aula, acontecem discussões sobre os problemas apresentados, realizadas em grupos. Esses grupos são formados por no máximo 10 alunos, e não mais por turmas enormes de até 100 estudantes. Desta forma, a participação de cada aluno se torna essencial, incentivando o trabalho em grupo e a comunicação.

    A Aprendizagem Baseada em problemas PBL traz para a sala de aula a interdisciplinaridade, seguindo a concepção de ensino atual, prevista na Lei de Diretrizes e Bases da Educação. A PBL também segue as novas diretrizes e parâmetros curriculares da educação básica, reduzindo a distância entre o aprendizado da teoria e a prática. Com a PBL, o foco do ensino passa a ser o aluno, que deixa de exercer o papel de receptor passivo das informações transmitidas por seus professores.

    Vantagens da PBL

    Aumento do senso de responsabilidade dos estudantes, que agora precisam ter vontade e disciplina para estudar e aprender por conta própria.

    Estimulo a leitura, ao emprego do raciocínio lógico e as discussões.

    Incentivo aos estudantes para que investiguem mais a fundo os problemas apresentados a fim de encontrar soluções práticas para eles.

    Estimula e desenvolve a habilidade do trabalho em equipe através dos grupos de discussão.

    Permite a interlocução das disciplinas e especialidades distintas e a troca de informações entre elas.

    E, talvez a mais importante de todas as vantagens, o acesso precoce dos estudantes ao meio prático da profissão escolhida, formando novos profissionais mais motivados e mais humanizados, já que os estudantes podem ver de perto o resultado prático de suas investigações.


    Disciplinas:

    1 – Auriculoterapia.

    2 – Acupuntura Constitucional Coreana.

    3 – Cinesiologia Aplicada a Acupuntura.

    4 – Craniopuntura.

    5 – Dry Nedling.

    6 – EFT. Emotional Freedon Tecniques.

    7 – Espiral Bandagem Therapeutic Taping.

    8 – Fisiognomonia.

    9 – Hipnose.

    10 – Magnetoterapia.

    11 – Drop Hammer.

    12 – Moxabustão.

    13 – Massagem Estética Facial.

    14 – Reflexologia Podal.

    15 – Shiatsuterapia.

    16 – Ventosaterapia


    Carga Horária:

    Nos Regimes de EAD ensino a Distância 100% On Line o aluno deverá acessar a plataforma 3 vezes por semana em horários diversos mas nunca inferior a 4 horas aula sendo essas mesmas horas computadas e somadas no final de cada curso e que sera a somatória de 2.280 horas finais.

    Pré-requisitos:

    DOCUMENTOS NECESSÁRIOS:

    • 02 Fotos 3X4
    • Fotocópia Autenticada do Diploma e Histórico do Curso de Nível Superior ou Nível Médio.
    • Fotocópia da Identidade, CPF, Comprovante de Endereço.
    • Via original do termo da Ficha de Inscrição e do Contrato de adesão assinado pelo aluno com firma reconhecida em cartorio.


    Para mais informações entre em contato

Outro curso relacionado com Terapias Alternativas

Utilizamos cookies para melhorar nossos serviços.
Se continuar navegando, aceita o seu uso.
Ver mais  |