Curso - A Secretária Como Mediadora De Conflitos Na Organização

Solicite informação sem compromisso Consultoria em Treinamentos

Para enviar a solicitaçao você deve aceitar a Política de Privacidade

Análise do Educedu

Igor Moreira

Igor Moreira

Curso - A Secretária Como Mediadora De Conflitos Na Organização

  • Modalidade
    Curso realizado presencialmente.
  • Duração
    Carga horária de 8 horas.
  • Certificado Oficial
    A instituição oferece um certificado do Curso - A Secretária Como Mediadora De Conflitos Na Organização.
  • Considerações
    A Consultoria em Treinamentos promove o Curso - A Secretária Como Mediadora De Conflitos Na Organização na modalidade presencial. A formação tem como objetivo transmitir ao participante conhecimentos para que ele possa mediar conflitos dentro de uma organização, oferecendo estratégias para facilitar o fluxo do processo comunicativo nas empresas. O curso faz uso de metodologia participativa, com considerações dos participantes, atividades para estimular a criatividade e textos para reflexão posterior.
  • Dirigido a
    Curso voltado a secretárias.
  • Área de atuação
    Esta formação está relacionada a atividades de secretariado nas organizações.
Quer saber mais sobre este curso?
Solicitar informações

Comentários sobre Curso - A Secretária Como Mediadora De Conflitos Na Organização - Presencial - São Paulo Capital - São Paulo

  • Conteúdo
    A Secretária Como Mediadora De Conflitos Na Organização“O conflito e a tensão social aumentam em proporção direta à diferença sociodinâmica entre a sociedade oficial e a matriz sociométrica “  Jacob Levy MorenoApresentaçãoA teoria socionômica, assim chamada de psicodrama, foi criada por Jacob Levi Moreno no século XX e constitui-se na ciência que busca estudar, compreender e intervir nos relacionamentos interpessoais e na sociodinâmica dos grupos. Essa teoria  concebe o homem como um Ser em Relação, em que, por meio do desenvolvimento do relacionamento interpessoal e do vínculo com o grupo, torna-se possível o homem conhecer-se melhor, se perceber e perceber ao outro, ou seja, em última instância aprimorar sua consciência de ser e estar no mundo.Pesquisas na mídia pontuam que uma das maiores dificuldades para que as organizações obtenham a produtividade almejada, consiste nas situações conflitantes presentes no ambiente de trabalho que envolve comunicação e relacionamento interpessoal entre os colaboradores e equipes de trabalho. A vivência  A Secretária como mediadora de conflitos na organização, compreende  um meio para que os participantes possam entrar em contato com seu potencial no sentido de intermediar dificuldades e conflitos que surgem no dia-a-dia.ObjetivosPossibilitar aos participantes apropriarem-se do potencial que possuem para mediar conflitos.Oferecer estratégias de ação no sentido de facilitar o processo de comunicação dentro da organização.Etapas•    Integração (aquecimento) dos participantes, levantamento de expectativas e contrato de trabalho. •    O conflito (dramatização) momento de os participantes entrarem em contato com as dificuldades de relacionamento que interferem na produtividade da organização.•    Vivência dos conflitos (dramatização) momento em que os participantes por meio da espontaneidade e criatividade buscam saídas em grupo para os conflitos.•    Compartilhamento cada participante compartilha com o grupo os sentimentos  vivenciados e apropriados. •    Elaboração a partir do vivido, o diretor de psicodrama provoca reflexões com o grupo participante, e conecta situações do dia-a-dia vivenciada nas organizações com o contexto social mais amplo da sociedade atual, pontuando estratégias do processo de comunicação e do relacionamento interpessoal para o melhor “conviver” das pessoas e para a produtividade da organização. Estabelece também comparação do vivido com as expectativas apontadas pelos participantes no início do encontro.Metodologia Participativa•    Em todas as etapas são consideradas as expectativas do grupo de participantes. •    Por meio de trabalhos corporais, música e jogos são ativados a espontaneidade e criatividade dos participantes para facilitar a receptividade do grupo e o desenrolar de tarefas.•    Podemos fazer uso de objetos intermediários, textos para reflexão que levam os participantes, à auto-avaliação. Os Jogos vivenciais e role-playings são embasados na metodologia científica sóciopsicodramática.AvaliaçãoOs participantes preenchem um formulário com questionário de avaliação do trabalho realizado.InstrutoraMaria de Lourdes Sgorbissa Consultora Independente em programas para o desenvolvimento do potencial humano mediante cursos, vivências, palestras e workshops. Empresas clientes: C&A, Empresa Transbraçal,     Fundação Ruben Berta (Varig), Siemens Ltda,  O Estado de S.Paulo, Sadia Concórdia S.A., SABESP  e  LUCENT. Assistente social, administradora, especialista em Recursos Humanos nas empresas: Grupo Saint Gobain, Nestlé, Jaraguá SA Industrias Mecânicas.Psicodramatista-didata-supervisora pela SOPSP-PUC, foi membro da diretoria de Ensino e Ciência da FEBRAP, Professora de curso de pós-graduação em Psicologia Organizacional no Instituto Hoyler e em Jogos Cooperativos e Jogos Psicodramáticos na Gestão de Pessoas e em cursos de graduação na Faculdade Flamingo. Foi professora na Anhanguera Educacional S.A. CARGA HORÁRIA:8 Horas.

Outro curso relacionado com Mediação de Conflitos

Utilizamos cookies para melhorar nossos serviços.
Se continuar navegando, aceita o seu uso.
Ver mais  |