Pós-graduação em Fitoterápicos

Solicite informação sem compromisso IEVAP - Instituto Educacional do Vale do Paraíba

Para enviar a solicitaçao você deve aceitar a Política de Privacidade

Comentários sobre Pós-graduação em Fitoterápicos - Presencial - Jacareí - São Paulo

  • Conteúdo
    CERTIFICAÇÃO: FALC – Faculdade Aldeia de Carapicuíba (Criada e autorizada pela Portaria MEC n.3966 de 30/12/2002 – DOU 252 de 31/12/2002, Seção 1 pág. 33).


    INTRODUÇÃO: Desde a antiguidade as plantas medicinais têm sido utilizadas como base dos principais produtos indicados para a saúde. O valor delas como recurso clínico, farmacêutico e econômico tem sido reconhecido progressivamente em vários países. Por conta disso, essas nações vêm normatizando e legislando acerca  dos diferentes critérios de segurança, eficácia e qualidade que devem envolver esses produtos.

    De acordo com a definição da ANVISA (Agência Nacional de vigilância Sanitária), Fitoterápicos são “medicamentos obtidos a partir de plantas medicinais”. As plantas medicinais em si, bem como suas partes, não podem ser registradas como fitoterápicos, mas sim aqueles medicamentos obtidos empregando-se exclusivamente derivados de droga vegetal (extrato, tintura, óleo, cera, exsudato, suco, e outros). Como qualquer medicamento os fitoterápicos devem oferecer garantia de qualidade, ter efeitos terapêuticos comprovados, composição padronizada e segurança de uso para a população.

    A grande biodiversidade do Brasil, a maior do planeta, e sua rica diversidade étnica e cultural o fazem detentor de um vasto conhecimento tradicional relacionado ao uso de plantas medicinais e fitoterápicos. Possui, dessa forma, o potencial necessário para o desenvolvimento de pesquisas que resultem em novas tecnologias e serviços terapêuticos.

    Em 22 de junho de 2006, através do Decreto n° 5.813, foi aprovada a Política Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos, que estabelece as linhas de ação prioritárias para o uso racional de plantas medicinais e fitoterápicos e visa a consolidar as iniciativas de relevância no país e as recomendações nacionais e internacionais sobre o tema. A expectativa é de que a política minimize a dependência tecnológica do Brasil no setor e estabeleça uma posição de destaque do país no cenário internacional.

    Consciente da importância do tema, o curso de Especialização em Fitoterápicos foi elaborado a fim de formar profissionais para atuação no setor, com competência para a validação, a utilização, a docência e a pesquisa científica de fitoterápicos. O conhecimento em fitoterápicos permite a utilização criteriosa desta importante abordagem terapêutica de grande aceitação pela maioria da população e de baixo custo de minimização e tratamento de doenças.


    OBJETIVO: Especializar profissionais na competência da validação, da utilização, da docência e da pesquisa científica de fitoterápicos.

    PÚBLICO ALVO: Graduados da área de ciências biológicas ou da saúde como: biólogos, enfermeiros, farmacêuticos, fisioterapeutas, médicos, médicos veterinários, odontólogos.

    ÁREA DE ATUAÇÃO: Orientação para o uso de fitoterápicos em consultórios médicos e odontológicos, farmácia popular, indústrias farmacêuticas de fitoterápicos, unidades básicas de saúde, secretarias de saúde; Pesquisa e desenvolvimento em universidades, centros de pesquisa, indústrias farmacêuticas; Monitoramento em agências reguladoras; Orientação no cultivo de plantas medicinais; Docência.


    Habilidades e competências do egresso
    O egresso terá conhecimento sobre: Os fundamentos das bases fitoquímicas, fisiológicas, farmacológicas e toxicológicas de fitoterápicos utilizados, possibilitando-o avaliar sua eficácia, efeitos, indicações e contra-indicações.
    A abordagem de plantas nacionais que geram fitoterápicos.
    O estudo etnobotânico, químico e farmacológico de plantas medicinais do Brasil.
    A contextualização da prática farmacológica comercial que gera fitomedicamentos, utilizados na promoção e na manutenção da saúde.
    A abordagem sobre as tendências mundiais no uso de fitomedicamentos.
    O estudo seletivo de fitomedicamentos contemplando-se doenças específicas tais como: controle do diabetes; redução do índice elevado de colesterol; combate a dor e inflamações; tratamento de doenças estomacais, cardiopatias e hipertensão dentre outras.
    A técnica fitoterápica, correlacionada com métodos científicos que validam o poder medicinal de uma planta.
    Os fundamentos fitofarmacológicos da prática médica.
    A abordagem científico-experimental de plantas nacionais que tenham seus estudos fitofarmacológicos projetados a níveis nacionais e internacionais.

    Carga horária total: 378 h/a


    CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

        Fitoterápicos com atividade no sistema cardiovascular e renal
        Fitoterápicos com atividade sobre o sistema nervoso central
        Fitoterápicos com atividade analgésica/ antiinflamatória
        Fitoterápicos com atividade no trato gastrintestinal
        Estudos fitoquímicos de plantas medicinais
        Toxicologia pré-clínica no desenvolvimento de fitoterápicos


Outro curso relacionado com Botânica

Utilizamos cookies para melhorar nossos serviços.
Se continuar navegando, aceita o seu uso.
Ver mais  |